10 BOAS RAZÕES PARA PLANTAR ÁRVORES

Desde criança lembro de meu pai repetindo algumas metas importantes para se cumprir na vida:

1. Tenha um filho;

2. Escreva um livro;

3. Plante uma árvore.

 

Pois bem, hoje vamos te dar 10 bons motivos para plantar não só uma, mas muitas árvores!

 

01. Produz oxigênio, reduz gás carbônico 

As árvores respiram, assim como nós, só que às avessas. Enquanto os humanos inspiram oxigênio e expiram gás carbônico, árvores em equilíbrio inspiram gás carbônico e expiram oxigênio.

Em um ano, uma árvore inala em média 12 kg de CO2 e exala oxigênio suficiente para uma família de quatro pessoas viver por um ano. As florestas do planeta – incluindo árvores vivas, madeira morta, dejetos e solo – armazenam aproximadamente 50% mais carbono do que existe na atmosfera, enquanto as árvores geram 40% do oxigênio do mundo.

Portanto, plantar uma árvore equivale basicamente a acrescentar outra célula aos pulmões da Terra, pois isso reduz o acúmulo do CO2 atmosférico liberado pela atividade humana que causa o aquecimento global.

02. Cultiva mais alimentos com fertilizantes naturais (2/11)

  • Plantar árvores em fazendas pode ajudar outras lavouras a se desenvolverem melhor, inicialmente por meio da melhoria da qualidade do solo. A presença de árvores no meio da plantação ou alternadas com a lavoura pode melhorar a fertilidade do solo e aumentar sua umidade, além de reduzir a erosão.Isso porque, além do gás carbônico, muitas árvores absorvem nitrogênio, um nutriente essencial da terra. Esse processo de fixação de nitrogênio melhora a fertilidade do solo, sobretudo através das folhas cheias de nutrientes que caem no chão e fertilizam a terra. Assim é possível reduzir a necessidade de fertilizantes nitrogenados artificiais feitos com produtos derivados de petróleo.

    Além de proporcionar fertilizantes, as árvores atuam como anteparos contra o vento, atraem abelhas e outros insetos que polinizam as lavouras, e ainda fornecem suprimento alimentar para os animais de cria

03. Preserva o abastecimento de água

As raízes das árvores reforçam o solo e suas folhas dispersam as gotas de chuva, de forma que, nas áreas florestadas, a chuva é espalhada de modo homogêneo e suave, sem cair torrencialmente. A água penetra no solo chegando até aquíferos subterrâneos que abastecem córregos e rios, em vez de fazer os cursos de água transbordarem, levando o solo enfraquecido. Regiões desmatadas podem perder até 90% da água da chuva.

Enquanto isso, florestas tropicais como a Amazônia produzem grandes quantidades de água por meio da evaporação das árvores e vegetação em geral, criando nuvens de chuva que levam suprimentos vitais de água para outras áreas. Mais de dois bilhões de pessoas dependem das áreas florestadas para proteger seus suprimentos de água.

Ao plantar árvores em áreas onde a escassez de água é um problema, o Centro Mundial Agroflorestal recomenda árvores caducifólias. Durante os períodos de seca elas consomem menos água que outras espécies e concorrem menos com as lavouras.

04. Previne a desertificação 

As árvores estabilizam o solo e, nas zonas áridas do mundo, podem evitar que o vento leve embora a camada superior do solo com seus nutrientes, garantindo, assim, que a área não se transforme em um deserto ou crie correntes de poeira. As árvores também freiam os ventos e agem como uma barreira contra o avanço das dunas de areia.

Na China, o governo está plantando uma faixa de árvores com 4.500 quilômetros de largura em todo o norte do país para reduzir a desertificação; no Níger, um programa de plantio conseguiu recuperar milhões de hectares de terras anteriormente degradadas.

05. Resiste à erosão costeira e aos deslizamentos 

Trabalhadores plantam árvores de mangue em um jardim botânico em Jacarta (Indonésia) para marcar o Dia da Terra. Chuvas intensas e tempestades podem desencadear deslizamentos de terra, se o solo ficar saturado. Onde não há qualquer cobertura arbórea, aumenta o risco de as chuvas torrenciais levarem embora o solo, fazendas e edifícios. Em zonas costeiras, a irrupção de tempestades varre as áreas desmatadas muito mais rapidamente, com um resultado devastador.

Contudo, o plantio de mangues, por exemplo, protege as áreas costeiras mais baixas contra a força das tempestades. Nas encostas de morro, as raízes profundas das árvores mantêm firmemente as árvores e a camada superior do solo, ancorando-os nas camadas mais profundas do solo. Isso faz o chão ficar mais forte e mais resistente a deslizamentos de terra ou erosão. E, nas regiões montanhosas, durante o inverno, as árvores também ajudam a conter avalanches,

protegendo as áreas habitadas.

06. Preserva a biodiversidade (6/11)

Plantar e manter matas diversificadas ajuda a preservar a grande variedade de espécies que compõem os ecossistemas e ainda garante outros itens, como água, solo bom e medicamentos para o futuro. As árvores atraem não apenas os insetos que polinizam as lavouras, mas também os pássaros que comem os insetos, além de outros animais que formam um ecossistema florestal.

As florestas são as áreas de biodiversidade mais importantes em terra firme, abrigando até 90% da flora e fauna terrestres conhecidas. Perder biodiversidade significa perder a variedade genética que fornece proteção extra contra as doenças e pragas que afligem muitas lavouras e animais.

07. Aumenta a saúde e a felicidade (7/11)

As árvores ornamentam e melhoram as áreas urbanas, fornecendo sombra, oxigênio e sensação de bem-estar, além de encorajar as pessoas a praticar exercícios. Uma pesquisa na Holanda e no Japão sugeriu, por exemplo, que as pessoas teriam mais disposição para andar a pé ou de bicicleta se as ruas fossem margeadas com árvores, melhorando assim sua saúde.

As árvores também melhoram a qualidade do ar, o que reduz os problemas respiratórios, e já foi até comprovado que as pessoas que podem avistar uma árvore do local de trabalho são mais produtivas. (Foto: Reuters)

08. Fornece medicamentos 

  • Um jardineiro cuida das mudas do que se acredita ser a última árvore nativa de Corypha Taliera, na Universidade de Dacca, em Bangladesh. Pesquisadores ainda têm esperança de que suas sementes possam demonstrar qualidades medicinais.A aspirina, originalmente, provinha da casca de um salgueiro. O quinino, usado para tratar a malária, vem da casca das árvores de quina (Cinchona). Produtos medicinais tirados de árvores ajudam a tratar doenças, e quem sabe quais curas futuras poderão vir das florestas ou do quintal de casa? Nesse meio tempo, óleos essenciais ,gomas e resinas também podem ser usados em produtos medicinais e terapêuticos

09. Empodera as comunidades locais 

O agricultor de especiarias Kassim Sisso colhe a casca de canela na fazenda da sua família em Zanzibar. Árvores e outras formas de vegetação protegem e encorajam a vida comunitária. Elas fornecem produtos comerciais, como madeira de lei, lenha para fogo, alimento, forragem para os animais, fibras, resinas, bebidas e frutos. Mais de um bilhão de pessoas vivem em florestas ou próximo a elas, e dependem das árvores para sua sobrevivência.

Plantar árvores pode significar uma renda extra para os agricultores – nos trópicos, cerca de 500 mil agricultores em pequena escala ganham a vida com as árvores em suas terras. As árvores proporcionam também ornamentação, sombra e, é claro, um ótimo lugar para criança aventureiras e curiosas escalarem.

10. Celebra a cultura, relembra os entes queridos 

Crianças participam de uma procissão de Corpus Christi pelas ruas e casas cobertas com galhos de árvore, em Zahara de la Sierra, sul da Espanha. As árvores são ícones culturais e espirituais importantes e servem como memoriais fundamentais às identidades tradicionais.

Muita gente planta árvores para marcar aniversários e falecimentos e, em diversas tradições, acredita-se que as árvores abrigam os espíritos e as almas dos ancestrais. Com frequência elas simbolizam os vínculos entre a Terra e a humanidade, a Terra e o Céu, ou entre presente e passado. Plantar uma árvore pode ser um ato de rememoração ou afirmação, mas, em todos os casos, é sempre um gesto positivo e de afirmação da vida.

 

Anúncios

Paisagismo culinário

Muitas gerações antes de nós viviam das frutas, nozes e ervas que existiam ao seu redor, com um pouco de reflexão e criatividade é possível recriar as “paisagens comestíveis” do passado dentro de seu jardim, no seu seu quintal, ou mesmo dentro de sua casa ou apartamento, não importa o tamanho, deixando uma colheita comestível de cor, fragrância, interesse e prazer ao longo dos anos.

O “paisagismo culinário” é uma oportunidade de trazer plantas nativas e frutíferas ao seu dia a dia, de modo a desfrutar dos benefícios que estas plantas e frutos podem lhe proporcionar. Para que isso funcione, eis algumas dicas que podem lhe ajudar.

Para começar:

  • Crie um plano: como em qualquer bom paisagismo, é sempre melhor criar um plano. “Os que não planejam, planejam falhar”. Sempre sai mais barato planejar, verificar opções, custos e etc, do que o amargo custo de um serviço mal feito ou dos elevados custos e tempo perdido do retrabalho. Você pode utilizar um rabisco simples no papel ou até mesmo softwares um pouco mais elaborados(mas ainda gratuitos) para planejar e projetar seu jardim, pode-se usar o “paint” ou qualquer outro programa semelhante para registrar e organizar suas ideias;
  • Escolha espécies adequadas: Para aqueles com paisagens estabelecidas, isso pode significar identificar em seu ambiente as plantas existentes que serão substituídas por variedades comestíveis. Verifique quais plantas melhor se adaptam ao seu ambiente, quais depois de adultas, quando crescerem, não irão danificar paredes, estruturas, calçadas e etc. decida o melhor lugar para plantá-las. Procure por espécies regionais, que possam lhe fornecer frutos ou flores por todo o ano, ou que possam se revesar entre si, de modo a garantir uma boa variedade em seu ambiente. Goiabeiras, mangueiras, cajueiros, coqueiros, limoeiros, laranjeiras entre diversas outras espécies podem ser utilizadas. Por exemplo, ao invés de tradicionais trepadeiras nas treliças ou pérgolas, pode-se com muito sucesso utilizar mudas de maracujá, que dá flores belíssimas e frutos deliciosos.
  • Pequenos espaços: você pode ter um jardim com uma “paisagem comestível” mesmo dentro de casa ou em seu apartamento, diversas espécies se adaptam com facilidade às suas necessidades, por exemplo: é possível ter um pequeno canteiro com hortaliças ou aromáticas na sua cozinha, para isso você pode utilizar pequenos jarros, potes plásticos, jardineiras ou até mesmo calhas suspensas na área de serviço. A cebolinha após ser utilizada pode ter suas raízes replantadas de modo que sempre contará com ela de forma gratuita em seus pratos.
  • Converse com quem entende: É melhor falar com o pessoal dos viveiros locais e se informar quais as plantas podem ser comestíveis e quais irão se adaptar ao seu ambiente. Existem muitas variedades de plantas e árvores, que crescem aqui que pode proporcionar material comestível seja fruto, flores, folhas ou raízes. Sempre verifique com um profissional experiente antes de assumir que algo pode ser consumido. Existem muitos livros que podem ser encontrados sobre o tema.

Enfim, é possível resgatar a tradição de cultivarmos pomares e hortas mesmo vivendo dentro da cidade e contando com pouco espaço com os princípios básicos do paisagismo culinário.

Para saber mais entre em contato conosco.

contato@arbustus.com.br

(85) 3047.3154 ou 4141.6337

http://www.arbustus.com.br

Jardim – Dicas para causar uma 1ª Boa Impressão!

arbustus.com.br - fachada

Todos nós conhecemos o ditado “você só tem uma chance de causar uma boa primeira impressão”. O mesmo é verdadeiro quando se procura vender um imóvel.

O jardim da frente é geralmente a primeira vista que um potencial comprador tem ao visitar uma nova casa. Em um mercado imobiliário mais lento, esta impressão pode ser o que afasta ou atrai um comprador para analisar seriamente a compra ou aluguel de um imóvel..

O visual do jardim pode confirmar um fechamento ou quebrar a venda de uma imóvel. Muitos compradores têm dificuldade em visualizar o potencial do paisagismo de uma casa. Fornecer um jardim ou mesmo um quintal bem cuidados pode criar conforto para o potencial comprador e ajudar no modo como eles vêem o interior e elementos exteriores de uma casa.

Então, o que pode ser feito para melhorar e criar esta “boa 1ª impressão”? Primeiro, pode ser útil observar sua casa da rua. Olhar para seu jardim como um potencial comprador seria uma boa medida para que você se prepare para o momento no qual se aproximam pela primeira vez. Observe quaisquer arbustos “indisciplinados” ou altos que podem bloquear características arquitetônicas interessantes ou pontos de vista. Estes podem ser facilmente podados criando um visual mais bem cuidado abrindo a paisagem.

Mantenha as áreas de grama aparada e adubadas. Um gramado bem cuidado e seus arredores vão deixar o comprador saber que a casa está bem cuidada. Arranque ervas daninhas ou aplique herbicidas de modo as erradicar ervas daninhas que podem estar crescendo em não só no gramado, mas entre calçadas e caminhos.

A opinião de um comprador vai começar a se desenvolver a medida que andam para a porta da frente. Mantenha esta área livre de detritos e considere a adição de cor sazonal ao longo da passarela. Um jarro decorativo com flores coloridas é sempre um bem-vindo no porta.

arbustus.com.br - fundos

Não se esqueça sobre o quintal. Esta área pode não ser visível a partir do primeiro momento, mas pode ser tão importante quanto o o jardim da frente do imóvel. Compradores em perspectiva podem andar por toda a casa antes de terem uma visão sobre as vantagens reais do imóvel e assim encontrarem “seus motivos” para comprarem o imóvel. Manter os brinquedos e ferramentas de jardim armazenados longe da vista, para que não se distraiam da sensação geral do quintal. Certifique-se de que pátio e passarelas são mantidos varridos e limpos. Algumas maneiras rápidas para iluminar o quintal incluem coloração de concreto existente, acrescentando cor sazonal para canteiros de flores e acrescentando luzes para iluminar o quintal e área de pátio.

A iluminação pode ser uma solução rápida para aumentar o apelo ao lado da calçada à noite. Luzes ao ar livre podem ser colocados ao longo de calçadas e passeios para receber os convidados. Eles também podem ser colocados estrategicamente para iluminar arbustos e outros elementos da paisagem, sombras de iluminação podem criar um look bonito para uma casa. Luzes também pode ser adicionadas para o exterior da casa e assim aumentar a visibilidade de um caminho de entrada e adicionar interesse arquitetônico. O pátio ou varanda são bons lugares para passar um pouco de tempo com o comprador de modo que esse ambiente, quando corretamente trabalhado faça valer a pena o investimento que será feito ao se comprar a casa. Um bem planejado e visualmente atraente paisagismo não só irá ajudar na venda de uma casa, mas irá agregar valor também. O jardim é uma das poucas áreas ao redor da casa que você pode ter certeza de ver o seu dinheiro investido “devolvido”, mas tome cuidado para não exagerar no investimento, pois você não terá adição de valor a seu imóvel que exceda em muito ao padrão estabelecido por sua vizinhança, ou seja, se você fizer um grande investimento num paisagismo exuberante, mas sua vizinhança for descuidada e feia, seu imóvel claro, irá se sobressair aos demais, mas na prática, você não conseguirá uma grande diferença financeira por isso.  Aproveite o tempo para explorar as casas vizinhas e planejar uma bela paisagem que vai ser confortável, convidativa e competitiva com as casas em sua comunidade.

Ao tentar algumas das sugestões acima, você estará em seu caminho para a criação de uma casa com um grande apelo visual. Se você se sentir intimidados pela tarefa de fazer este planejamento sozinho, poderá contratar a assistência de um paisagista que a preços módicos, poderá auxiliar no planejamento de seu jardim e assim obter o resultado que deseja.

Lembre-se que um potencial comprador vai formar opiniões de sua casa a partir do instante em que vê-la, numa foto ou mesmo na rua. Espero que essas sugestões podem ajudá-lo a melhorar sua argumentação de venda, e lhe ajudem a gerar uma boa impressão duradoura ao projetar e manter sua casa acolhedora.

Para saber mais, ou para entrar em contato conosco eis os nossos contatos:

contato@arbustus.com.br

(85)3047.3154 / 4141.6337

Plantas para Lagos Ornamentais

Você tem um lago em casa, mais não sabe quais plantas utilizar? Neste post mostraremos dicas  e tipos de plantas para embelezar o seu lago !

As plantas para lagos, quanto aos tipos, podem ser divididas em flutuantes, submersas, submersas com folhas emersas, palustres, marginais e anfíbias. Todas elas contribuem bastante para que a água do lago não se torne muito esverdeada. Tal contribuição se dá por meio da absorção dos nutrientes que serviriam às micro-algas em suspensão, responsáveis pela água verde e também pelo sombreamento que minimiza os efeitos do excesso de incidência solar.

plantas-para-lagos-ornamentais-3

“Lago criado e executado por Natural Lagos”

Flutuantes:

Assim como o nome já sugere são as plantas que ficam na superfície do lago. Entre elas, encontramos os aguapés, alfaces-d’água, marrequinhas, lentilhas e muitas outras. Necessitam de sol pleno e servem para sombreamento parcial da superfície quando a incidência do sol é muito grande. Prestam-se também para a desova de kinguios e carpas. O aguapé e a alface-d’água não se dão bem em água com alta reserva alcalina, ou seja, em lagos de alvenaria sem vedação. São ótimas para despoluir a água e retirar nutrientes que serviriam para as microalgas verdes, no entanto, como são alimento para as carpas, devem ficar separadas desses peixes para evitar transtornos como entupimentos dos filtros.

Submersas:

Mais utilizadas em aquários do que em lagos, as submersas como a elódea, a valisnéria e a cabomba não são facilmente visíveis quando se observa o lago, razão pela qual, não se costuma introduzi-las. No entanto elas são muito importantes para oxigenação da água do lago, mantendo algas e microrganismo nocivos afastados.

Submersas com folhas emersas:

Esse tipo de planta necessita de sol pleno e aceita sombra, contudo, não costumam florescer nessas condições. Também é necessária uma profundidade razoável, considerando que seria plantada em um vaso grande e teria ainda que restar uma coluna d’água de no mínimo 20 a 30cm acima do vaso. Um exemplo é a ninféia que, quando mantida em aquários, fica com as folhas submersas. São muito ornamentais, mas precisam de água neutra e substrato fértil. Proporcionam muita sombra sem o inconveniente das raízes serem comidas e espalhada, mas suas folhas têm curta duração. Um detalhe que deve ser observado com as ninféias é que as do tipo tropical (caerulea), por serem menores,desenvolve-se muito bem quando plantadas entre 20 e 30 cm  de profundidade. Já as de clima temperado (rubra) necessitam de uma profundidade entre 30 e 50 cm (além da altura do vaso).

Palustres e marginais:

As plantas marginais preferem locais rasos e oferecem excelente abrigo para a vida silvestre. Já as plantas palustres são características de locais encharcados. No entanto elas confundem-se pois muitas plantas palustres podem se comportar como marginais, invadindo os lagos em suas áreas marginais. Desenvolvem-se a sol-pleno ou sombra parcial. As mais comuns são o papirus-gigante, papiru-anão , sombrinha – chinesa, cavalinha,junco, taboa, lírio-do-brejo, copo-de-leite, etc. São ótimas plantas para o filtro de plantas e devem, preferencialmente, ser plantadas em vasos para ter a manutenção facilitada e controle sobre o seu crescimento.Sobre o substrato, deve-se colocar pedras para evitar que os peixes o revirem. É conveniente ainda o replantio a cada primavera.

Anfíbias:

Preferem sombra e meia -sombra, evitando a luz solar direta e se desenvolvem em solo rico e encharcado, mas aceitam imersão parcial ou até total por longos períodos de tempo. São comumente utilizadas em aquários. Além de muitas outras, estão: anúbias, eleocáris, lírio-da-paz, musgo-de-java, samambaia-d’água e singônia.

Paisagismo no Lago

plantas-para-lagos-ornamentais-1

 

“Lago criado e executado por Natural Lagos”

Diversas são as opções de plantas para o paisagismo de um lago, no entanto, é importante que a planta escolhida atenda aos seguintes fatores:

  • Estar em harmonia com o jardim, com a residência e com o próprio lago;
  • Possuir folhas perenes e de tamanho grande e flores duradouras para contribuir na redução da manutenção quanto à retirada de folhas e flores que poderiam cair na água;
  • Ter raízes não agressivas e não superficiais;
  • Galhos não quebradiços;
  • Se o lago for visitado por crianças pequenas deve-se cuidar para que não seja tóxicas.

Para locais ensolarados e lagos tropicais, podemos escolher palmeiras, bananeiras ornamentais, bambu-mirim, moréias, fórmio, aves-do-paraíso, orquídeas-bambu, etc. No caso de zonas sombreadas, a escolha ainda engloba palmeira-ráfia, camaedória, lírios-da-paz, beijos, samambaias, entre outras. Devemos cuidar que muitas plantas palustres têm caráter invasivo. Caso o lago não seja de alvenaria, deve-se controlar o crescimento ou até mesmo evitar o plantio dessas plantas em suas bordas, uma vez que podem avançar e tomar conta do lago. Muitas trepadeiras também são boas opções para sombreamento. Elas podem ser mantidas em pérgolas, caramanchões e suportes naturais.Árvores  de porte médio e grande devem ser evitadas próximas aos lagos ornamentais construídos, principalmente o chorão que, apesar da grande beleza e harmonia, tem capacidade de “procurar” água pelas raízes e a Tipuana, o Fícus e o Flamboyant que têm raízes superficiais e agressivas, além de folhas pequenas.plantas para lagos

Plantas para Lagos Ornamentais was originally published on Arbustus Paisagismo e Grama Sintética

Plantas para Lagos Ornamentais

Você tem um lago em casa, mais não sabe quais plantas utilizar? Neste post mostraremos dicas  e tipos de plantas para embelezar o seu lago !

As plantas para lagos, quanto aos tipos, podem ser divididas em flutuantes, submersas, submersas com folhas emersas, palustres, marginais e anfíbias. Todas elas contribuem bastante para que a água do lago não se torne muito esverdeada. Tal contribuição se dá por meio da absorção dos nutrientes que serviriam às micro-algas em suspensão, responsáveis pela água verde e também pelo sombreamento que minimiza os efeitos do excesso de incidência solar.

plantas-para-lagos-ornamentais-3

Flutuantes:

Assim como o nome já sugere são as plantas que ficam na superfície do lago. Entre elas, encontramos os aguapés, alfaces-d’água, marrequinhas, lentilhas e muitas outras. Necessitam de sol pleno e servem para sombreamento parcial da superfície quando a incidência do sol é muito grande. Prestam-se também para a desova de kinguios e carpas. O aguapé e a alface-d’água não se dão bem em água com alta reserva alcalina, ou seja, em lagos de alvenaria sem vedação. São ótimas para despoluir a água e retirar nutrientes que serviriam para as microalgas verdes, no entanto, como são alimento para as carpas, devem ficar separadas desses peixes para evitar transtornos como entupimentos dos filtros.

Submersas:

Mais utilizadas em aquários do que em lagos, as submersas como a elódea, a valisnéria e a cabomba não são facilmente visíveis quando se observa o lago, razão pela qual, não se costuma introduzi-las. No entanto elas são muito importantes para oxigenação da água do lago, mantendo algas e microrganismo nocivos afastados.

Submersas com folhas emersas:

Esse tipo de planta necessita de sol pleno e aceita sombra, contudo, não costumam florescer nessas condições. Também é necessária uma profundidade razoável, considerando que seria plantada em um vaso grande e teria ainda que restar uma coluna d’água de no mínimo 20 a 30cm acima do vaso. Um exemplo é a ninféia que, quando mantida em aquários, fica com as folhas submersas. São muito ornamentais, mas precisam de água neutra e substrato fértil. Proporcionam muita sombra sem o inconveniente das raízes serem comidas e espalhada, mas suas folhas têm curta duração. Um detalhe que deve ser observado com as ninféias é que as do tipo tropical (caerulea), por serem menores,desenvolve-se muito bem quando plantadas entre 20 e 30 cm  de profundidade. Já as de clima temperado (rubra) necessitam de uma profundidade entre 30 e 50 cm (além da altura do vaso).

Palustres e marginais:

As plantas marginais preferem locais rasos e oferecem excelente abrigo para a vida silvestre. Já as plantas palustres são características de locais encharcados. No entanto elas confundem-se pois muitas plantas palustres podem se comportar como marginais, invadindo os lagos em suas áreas marginais. Desenvolvem-se a sol-pleno ou sombra parcial. As mais comuns são o papirus-gigante, papiru-anão , sombrinha – chinesa, cavalinha,junco, taboa, lírio-do-brejo, copo-de-leite, etc. São ótimas plantas para o filtro de plantas e devem, preferencialmente, ser plantadas em vasos para ter a manutenção facilitada e controle sobre o seu crescimento.Sobre o substrato, deve-se colocar pedras para evitar que os peixes o revirem. É conveniente ainda o replantio a cada primavera.

Anfíbias:

Preferem sombra e meia -sombra, evitando a luz solar direta e se desenvolvem em solo rico e encharcado, mas aceitam imersão parcial ou até total por longos períodos de tempo. São comumente utilizadas em aquários. Além de muitas outras, estão: anúbias, eleocáris, lírio-da-paz, musgo-de-java, samambaia-d’água e singônia.

Paisagismo no Lago

plantas-para-lagos-ornamentais-1

Diversas são as opções de plantas para o paisagismo de um lago, no entanto, é importante que a planta escolhida atenda aos seguintes fatores:

  • Estar em harmonia com o jardim, com a residência e com o próprio lago;
  • Possuir folhas perenes e de tamanho grande e flores duradouras para contribuir na redução da manutenção quanto à retirada de folhas e flores que poderiam cair na água;
  • Ter raízes não agressivas e não superficiais;
  • Galhos não quebradiços;
  • Se o lago for visitado por crianças pequenas deve-se cuidar para que não seja tóxicas.

Para locais ensolarados e lagos tropicais, podemos escolher palmeiras, bananeiras ornamentais, bambu-mirim, moréias, fórmio, aves-do-paraíso, orquídeas-bambu, etc. No caso de zonas sombreadas, a escolha ainda engloba palmeira-ráfia, camaedória, lírios-da-paz, beijos, samambaias, entre outras. Devemos cuidar que muitas plantas palustres têm caráter invasivo. Caso o lago não seja de alvenaria, deve-se controlar o crescimento ou até mesmo evitar o plantio dessas plantas em suas bordas, uma vez que podem avançar e tomar conta do lago. Muitas trepadeiras também são boas opções para sombreamento. Elas podem ser mantidas em pérgolas, caramanchões e suportes naturais.Árvores  de porte médio e grande devem ser evitadas próximas aos lagos ornamentais construídos, principalmente o chorão que, apesar da grande beleza e harmonia, tem capacidade de “procurar” água pelas raízes e a Tipuana, o Fícus e o Flamboyant que têm raízes superficiais e agressivas, além de folhas pequenas.plantas para lagos

Como montar um lago de uma forma bem simples e fácil?

Já pensou, você ter aquele seu lago tão sonhado?

Neste post iremos mostrar como construir um lago de lona!

la.1figura 1

Este lago possui como grandes vantagens o fato de ser fácil de instalar, além de permitir grande liberdade de formatos.

Assim como o lago de alvenaria escavado, o lago de lona deverá possuir uma borda com cerca de 5 a 10 cm acima do solo para evitar a entrada de água d chuva carregada de impurezas diversas provenientes da lixiviação do solo.

lago.2figura 2

Após escavado o local escolhido, devidamente socado o solo e feita a limpeza, retirando pequenas pedras, galhos, raízes, etc. Deve-se forrar o fundo e as laterais com cobertores velhos ou roupas velhas ou ainda bastante jornal molhado visando a evitar sua perfuração por algum material qualquer que tenha permanecido (fig.1). A forração do fundo pode ser substituída por uma camada de areia limpa e peneirada para garantir o assentamento da lona.

Existem lonas próprias para a confecção de lagos ornamentais que são resistentes à radição solar e são conhecidas como geomembrana o PEAD. Costumam ter a espessura entre 0,5mm a 2,0mm. Quando escolhidas as mais grossas, é importante aplicá-las em dias quentes, para que fiquem mais maleáveis para o correto assentamento.

lago 3figura 3

Outra lona muito usada é a lona plástica de carreteiro. Ela é relativamente resistente à radiação solar e aos rasgos, mas nem sempre tem espessura suficiente para impedir furos eventuais. Caso a lona escolhida não tenha a espessura desejada, é aconselhável usar uma segunda lona logo abaixo da que tenha resistência à radiação solar.

Na Figura 2, vemos a aplicação de uma lona de reforço que não possui resistência à radiação solar (lona preta).

E na Figura 3, vemos a aplicação da lona de carreteiro, mais resistente aos rasgos e à radiação solar.

lago 4figura 4

Para o devido assentamento da lona, colocam-se pedras nos cantos do fundo. Quando houver degraus ou variações de nível, também deverão ser colocadas pedras nesses locais para que a lona não saia do lugar enquanto será preenchido com água.

Assim como o lago de alvenaria precisa ter tubulações que permitam o encaminhamento da água para o filtro e uma saída para descarte de água, o lago de lona também tem as mesmas necessidades. Deve-se, no entanto, evitar fazer os drenos perfurando a lona. É preferível faze-los com mangueiras pelo lado de dentro, camuflando com pedras (Fig 4).

 

lago 5figura 5

Opcionalmente, para esconder as laterais do lago e deixar o seu lago com um designer mais bonito, pode- se empilhar pedras nas laterais e colocar uma camada de areia no fundo.As pedras maiores precisam ser assentadas primeiro, como mostra a Figura 5. Deve-se ter o devido cuidado deixando livre a passagem das mangueiras pra o filtro, sem estrangula-las.

Após terminado e sem a necessidade de se usar cimento, cola ou qualquer adesivo, o seu  lago se mostra muito mais  natural (Fig 6).

lago 6figura 6

Além da rapidez de construção, os lagos de lona têm o período de maturação da água muito mais acelerado dos que os de alvenaria. Têm ainda a vantagem de poderem ser removidos ou alterados.

Pronto agora você já tem o seu lago!

Plantas ajudam a regular temperaturas em casas

Uma casa com conforto térmico natural é sempre mais sustentável, pois não precisa de aparelhos como ventiladores e ar-condicionado para deixar o ambiente em uma temperatura agradável, o que economiza no consumo de energia elétrica.
Assim, o uso de plantas pode ser um grande aliado, ajudando a regular a temperatura de construções. Uma das maneiras com que isso pode ser feito é plantando trepadeiras em treliças no lado mais quente da casa, de preferência em uma pequena tela, cerca de 15 centímetros da parede. Assim, uma espécie de colchão vertical de ar frio é criado entre as plantas e a casa, ajudando a deixar a temperatura mais amena.
Em casas com mais espaço, árvores podem ajudar a obter sombra no verão e bloquear a entrada de vento no inverno. Uma dica para as regiões temperadas: as plantas decíduas, que perdem suas folhas em temperaturas mais frias, fazem sombra no verão mas permitem a entrada do sol no inverno.
É possível ainda montar telhados verdes, o que impede que a construção absorva excessivamente o calor durante o dia.
Quando for plantar qualquer planta em seu jardim, lembre que espécies nativas crescem mais rápido e necessitam de menos manutenção.
Estas escolhas por mais simples que sejam exigem um minimo de planejamento pois uma escolha inadequada pode causar danos e prejuízos ao imóvel ou ao projeto. No caso de árvores, a espécie errada pode não fornecer sombra adequada, ou pode quebrar calçadas com suas raízes, causar problemas no sistema hidrossanitário e etc. Pode acabar por escolher plantas de sol ou grama para determinada área e de repente nos meses seguintes, aquela região da casa ser tomada pela sobra fazendo com que seu jardim morra. Existem diversos pontos a serem abordados e o fato é que a maioria dos arquitetos não é suficientemente preparada para elaborar um projeto adequado de paisagismo sozinho, neste caso ele pode solicitar a consultoria de um paisagista ou você pode fazer esta solicitação. Isso vai garantir a viabilidade de seu investimento
Se tiver dúvidas quanto a que tipo de planta será mais adequada a seu projeto, necessitar de um projeto de paisagismo ou mesmo tirar dúvidas básicas, entre em contato com a Arbustus Paisagismo e prontamente poderemos lhe ajudar.
Arbustus Paisagismo
85-30473154 ou 85-41416337
contato@arbustus.com.br

 

Como manter seu gramado verde?

Como manter seu gramado sempre verde?

Está é uma pergunta simples mais repleta de pequenos detalhes. Vivemos uma onda de conscientização ecológica onde a necessidade de se manter áreas verdes de convivência é cada vez mais evidente. Diante do aquecimento global uma área gramada pode favorecer bastante a criação de um microclima mais agradável. Olhando por outro lado, onde cada vez mais se faz necessário a economia dos recursos naturais como a água, é preciso visual e ecologicamente falando encontrar o equilíbrio necessário à existencia.

Um gramado verde é sinal de qualidade de vida, de zelo pela manutenção do imóvel e mostra uma verdadeira preocupação pelas pessoas que utilizam àquele espaço.

Agora sem mais delongas, vamos iniciar neste 1º post a falar como deixar seu gramado sempre verdinho:

Quando se começa da maneira certa, é mais fácil manter tudo em ordem com o passar do tempo. Isso é uma verdade em todas as áreas, principalmente no jardim. No plantio, a utilização do tipo de solo adequado para o plantio, a correta adubação, a drenagem adequada e o planejamento antecipado da irrigação vão ter um efeito positivo de longo prazo.

Trate o seu solo adequadamente. Caso existam ervas daninhas, contate um profissional da área para que possa fazer a aplicação do herbicida mais adequado. A adubação, como já citado faz parte do correto manejo do solo, onde for possível, utilize substrato feito a partir da Carnaúba como base a ser misturada com o solo e assim efetue a preparação adequada para realizar o plantio. A Carnaúba contém uma substancia específica que favorece o enraizamento. Com uma boa adubação na fase de plantio, rapidamente você terá o gramado bem formado e evitará muitos problemas no futuro. A vermiculita é um insumo adequado para ajuda-lo na correta distribuição de água e nutrientes ao gramado.

Nivele adequadamente o terreno. É preciso prever como será feito o escoamento das águas oriundas da irrigação e chuvas, lembre que água empoçada é sinônimo de lodo e doenças no gramado. Geralmente a drenagem por gravidade funciona bem, em alguns casos, como na execução de campos esportivos, é necessário prever calhas de drenagem e o famoso sistema “espinha de peixe”.

Lembre: não existe grama verde ou jardim natural sustentável sem água, para grama esmeralda, são necessários 08 litros d’água por metro quadrado por dia dia para manter seu gramado em ordem, isso significa que se você tem um jardim com 100 m² serão pelo menos 800 lt/dia e no minimo 24.000 litros por mês. Se você tem dificuldades com esse consumo de água, provavelmente a grama sintética será a solução para você. É preciso antes do plantio, definir como será feita a irrigação, se você irá dispor de tempo adequado para fazer isso manualmente, ou será melhor economizar água, tempo e por fim recursos financeiros a médio e longo prazo com a execução de um eficaz sistema de irrigação. Abordaremos este assunto num outro post mais tarde.

Podemos citar muitos outros detalhes que irão intervir na qualidade futura de seu gramado.

Abordaremos mais assuntos no próximo post.

Construtora Mota Machado Adere a Grama Sintética

A Construtora Mota Machado, sempre buscando oferecer o que há de melhor a seus clientes, fez recentemente uma aquisição de grama sintética para dois de seus empreendimentos: O Riviera Beach Place Golf Residence, um empreendimento de alto luxo localizado dentro do Aquiraz Riviera, o maior complexo de lazer e turismo do estado do Ceará e o Beach Place Resort Residence.

Nesta imagem ilustrativa, você pode notar o telhado verde, o mesmo está sendo montado com a grama sintética esportiva D-094 utilizada para quadras de tênis.

A Construtora Mota Machado escolheu a Arbustus – representante exclusiva Forbex, por apresentar um produto de alta qualidade e durabilidade que é capaz de resistir aos rigores do clima da região e também que traduz a beleza e sofisticação necessária a este empreendimento.

Já na outra obra que a Construtora Mota Machado está instalando nossa grama sintética, o Beach Place Resort Residence, situado na praia do Japão em Aquiraz-Ce, a grama escolhida foi a Park Grass, um lançamento exclusivo Forbex. Grama sintética de 38mm, fabricada com fio esportivo da TenCate, resistente a condições climáticas extremas e com um recheio da própria grama que simula grama recém cortada. Grama sintética bonita, resistente, confortável e verde o ano todo, sem custos elevados com água, adubos, corte ou qualquer outro tipo de manutenção. Por isso a grama sintética vendida pela a Arbustus, vem se mostrando uma forte tendência quando se pensa em ambientes ecologicamente sustentáveis.

Esta será a grande tendência de grama para jardim.

40mm-Artificial-Grass-for-Garden-Landscaping.jpg

Mais uma vez a Arbustus Paisagismo saindo na frente e oferecendo a seus clientes o que existe de melhor no mercado mundial de grama sintética.

 

Aluguel de Paisagismo para Eventos

IMG_4141

O aluguel de paisagismo para eventos vem encontrando seus adeptos e se mostrando uma forte tendência.

As empresas precisam cada vez mais mostrar que aderem ao conceito de sustentabilidade e o paisagismo em eventos pode ajudar a empresa a apresentar uma “cara mais verde” diante do público que frequenta feiras, eventos diversos e exposições.

A locação de arranjos florais, jarros e plantas foi uma realidade na copa das confederações 2013 onde em todo Brasil, empresas foram contratadas para fornecer itens de paisagismo e decoração floral, enchendo de glamour as arenas esportivas que recebiam um público seleto local e internacional.

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

Em Fortaleza, a Arbustus foi a fornecedora oficial da Copa das Confederações 2013, onde ornamentou e distribuiu jarros e arranjos florais nas suítes, lounges, áreas VIP e V.VIP da Arena Castelão. Foi necessário uma grande logística para atender o cliente dentro do prazo especificado, mas o resultado final compensou todo esforço.

Foi um sucesso!

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

Com o aluguel de paisagismo, fica mais fácil fazer mudanças de última hora, aumentar ou reduzir quantidades, substituir arranjos ou plantas que não ficaram de agrado do cliente, enfim eliminar toda a dor de cabeça com a aquisição e logística de um produto que não é o foco da empresa organizadora de eventos.

Em eventos mais longos isso torna-se ainda mais importante, visto que todo esse material vivo precisa de manutenção para continuar belo sem eventuais prejuízos.

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

O fato é que o aluguel de arranjos e paisagismo, pode se tornar um grande trunfo para empresas organizadoras de eventos, que precisam focar em aspectos mais importantes do atendimento ao cliente e não querem arcar com os custos de terem elas mesmas de providenciar toda logística para este tipo de decoração.

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

Aluguel de arranjos florais, jarros, plantas ornamentais e grama sintética para seu evento.

Se quiser saber mais sobre aluguel de paisagismo ou arranjos florais para eventos, entre em contato conosco e solicite uma visita.

Conheça nosso site: http://www.arbustus.com.br


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});